Mulher perde controle de carro e bate em poste

Por Redação FMTLnews 28/09/2020 - 08:45 hs

Durante serviço preventivo da P.M pela bifurcação em T, final da Rua Yamagutt kankit  com a BR 262, foi observado pela equipe policial,  um veículo SAVEIRO, com carroceria coberta por capota marítima, que seguia seu trajeto sentido cristo, pela BR 262. Referido veículo após transpor em baixa velocidade,  o primeiro quebra mola instalado entre a rotatória com  saída para a cidade de Brasilândia com o final da Rua yamagutt,  aplicou mais velocidade para transpor o segundo quebra mola. Diante da atitude do motorista (sexo feminino),  despertou na equipe policial a suspeita de um possível transporte de ilícito. A equipe policial iniciou acompanhamento em baixa velocidade até o radar de velocidade, próximo do posto real e foi constatado que o veículo alcançou apenas 30km/h, quando cruzou referido radar. A partir do ponto supramencionado, a condutora avançou  a aceleração do veículo, de maneira que, foi possível perceber pela equipe policial, velocidade acima de 150km/h. O  veículo em questão, distanciou  da viatura policial por mais 1km,  cruzando os radares semafóricos instalados na extensão da avenida Ranulpho Marques Leal,  cruzamentos com as vias Capitão Olinto Mancini e Egídio Thomé. A velocidade do veículo parecia constante e acima do permitido pela via, até o ponto do impacto, mesma avenida e cruzamento com a via Baldomero Leituga, local onde se chocou em uma escultura da figura do pássaro tuiuiú e posteriormente em um poste de iluminação pública,  instalados no canteiro central. Com o impacto, a escultura sofre perda total; o poste rompeu sua base de concreto, de maneira que expos  e entortou toda a ferragem, permanecendo a  ponto de queda. O veículo também sofreu perda total e permaneceu sustentando a inclinação do poste em um ângulo de 70 graus, em relação ao solo. A condutora não sofreu quaisquer tipo de lesão exposta e permaneceu consciente, bem como se negou a receber atendimento especializado médico, sob alegação de ser praticante assídua  na área de enfermagem, exercendo essa função pelo hospital CASSEMS. A condutora afirmou que em momento algum percebeu o deslocamento da viatura policial, bem como, não percebeu o desenvolver da velocidade veicular,  por estar em estado de sonolência, devido o tempo exposto pelo cansaço causado durante o  exercício da função.  Afirma também que ao perceber que já  estaria pela altura da via onde costuma ocupar para prosseguir o trajeto até sua residência,  tentou realizar uma conversão à esquerda.